IRAC-BR realiza workshop visando atualização profissional

31/10/2016

“Manejo de Resistência de Pragas a Inseticidas e Cultivos Bt” foi tema abordado em evento realizado pelo Comitê

 

 

O Comitê Brasileiro de Ação à Resistência a Inseticidas (IRAC-BR) reuniu  cerca de 60 profissionais da área de defesa vegetal em um workshop sobre “Manejo de Resistência de Pragas a Inseticidas e Cultivos Bt”, ministrado pelo professor Celso Omoto. O evento aconteceu na Dow AgroSciences, em Mogi Mirim (SP), no dia 20 de outubro de 2016. A Dow AgroSciences é um dos membros do grupo de Biotecnologia - o GBio - do IRAC-BR, responsável pelo desenvolvimento de um plano de manejo de resistência de insetos em culturas geneticamente modificadas.

 

O IRAC-BR realiza eventos de educação continuada com frequência. Desta vez, o workshop foi destinado  aos representantes e membros do IRAC-BR, além de parceiros do Comitê. O objetivo foi promover atualização profissional, uma vez que o comitê recebeu recentemente novos membros internos e representantes de empresas associadas. Segundo o presidente do IRAC-BR, Fábio de Andrade Silva, estes profissionais são importantes difusores - tanto internamente quanto externamente - das boas práticas em manejo de resistência de insetos a inseticidas. “Há algum tempo não fazíamos um workshop para os membros do IRAC-BR. Com a entrada de novos integrantes, achamos melhor fazer uma atualização do tema para a equipe”, esclarece Silva.

 

O presidente do IRAC-BR explica ainda que esta é uma estratégia para manter uma equipe qualificada e empenhada nas atividades de manejo de resistência de insetos a inseticidas. “Como existe uma alta rotação de representantes do IRAC-BR e nos demais comitês, achamos que seria interessante retomar esta atividade”, afirma. Segundo Fábio de Andrade Silva, a principal expectativa do Comitê ao promover este tipo de iniciativa de educação continuada é sempre atualizar a conscientizar.

 

Responsável pela produção do conteúdo disponível no site do IRAC-BR, a bióloga Izabella Menezes, participou do workshop e avaliou positivamente a estratégia de atualização profissional. “O IRAC-BR promove informações estratégicas sobre o manejo de resistência a inseticidas e acaricidas no país, além de desenvolver recomendações do uso correto destes produtos. Este tipo de disseminação de conhecimento assegura a produção da lavoura e a qualidade dos alimentos", avalia. Mestranda em Defesa Sanitária Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa, Izabella é também pesquisadora da Oxya Agro e Biociências.

 

Para Celso Omoto, responsável por ministrar o workshop, o principal propósito do evento foi promover um esforço educacional. “Nós visamos manter todas as classes de inseticidas e acaricidas, bem como as plantas geneticamente modificadas, como opções viáveis de controle através de um programa de parceria com instituições de pesquisa, extensionistas e produtores para o manejo de pragas de maneira sustentável”, pondera. No próximo ano, Celso estima que serão organizados workshops regionais nessa temática com envolvimento de pesquisadores, associações de produtores, consultores e revendas para a implantação de um programa piloto de manejo da resistência. Celso é professor titular da USP, consultor do Irac-BR e membro do Grupo de Trabalho de Manejo de Resistência (GTMR) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

 

Além de promover atualização profissional em sua área de atuação, o IRAC-BR é também responsável por fomentar pesquisas e desenvolver trabalhos com produtos fitossanitários. Outras iniciativas de conscientização à resistência a inseticidas podem ser conferidas através do site do comitê: www.irac-br.org

 

 

Foto: IRAC-BR

 

Please reload

Mais recentes
Please reload

Siga-nos

1/2

Comitê Brasileiro de Ação à Resistência a Inseticidas - IRAC-BR - 2020

Desenvolvido por Allge Pesquisa e Desenvolvimento