Psilídeo dos citros: Inseto vetor das bactérias Ca. L. asiaticus e Ca. L. americanus


O psilídeo dos citros (Diaphorina citri) é o inseto vetor das bactérias Candidatus Liberibacter asiaticus e Ca. L. americanus. Estas bactérias são os agentes causais do greening, também conhecido como Huanglongbing (HLB) na Ásia e nas Américas. Uma vez que as árvores são infectadas por esta bactéria patogênica, a produção declina rapidamente resultando em uma árvore não reprodutiva em poucos anos.


No manejo de HLB, os adultos são considerados os principais alvos para aplicações de inseticidas foliares e o seu controle é importante, pois, são os principais disseminadores da bactéria. Em plantas maiores, os inseticidas atuais não são eficientes devido ao tamanho da planta.


Mesmo que a razão de resistência não seja alta quando comparadas a outras pragas, é importante monitorar os psilídeos para retardar o aumento da frequência de resistência dessa praga para inseticidas utilizados preservando a efetividade das moléculas existentes.


Guia do Manejo Integrado dos Psilídeos:

- Plantar somente mudas produzidas em viveiros protegidos com telas antiafídicas;

- Use somente mudas certificadas;

- Plantar mudas protegidas com inseticidas sistêmicos, com aplicação realizada no viveiro antes do transporte para o campo;

- Proteja pomares jovens e mudas com inseticidas sistêmicos aplicados no solo e aplicações foliares de inseticidas. Em pomares mais velhos, usar preferencialmente inseticidas via foliar de contato ou sistêmico;

- Rotacionar inseticidas aplicados no solo com aplicações foliares de diferentes Modos de Ações (MoA). Rotação de diferentes modos de ações é a chave do manejo de resistência;

- Manejar os adultos durante o período de inverno, antes do início das chuvas, é de fundamental importância para manter baixas populações para o resto do ano;

- Usar os métodos de monitoramento definidos e bem como o nível de controle para tomar as decisões de aplicação de inseticidas;

- O uso e a conservação dos agentes de controle biológicos, reduzindo assim o risco de evolução de resistência e surtos de pragas secundárias.


Confira em nosso site mais informações sobre o manejo desta e outras espécies de insetos-praga.


Mais recentes
Siga-nos