Soja Bt: tecnologia eficaz para o manejo da lagarta falsa-medideira

Tecnologia de soja expressando Cry1Ac é implantada no Brasil


A lagarta Chrysodeixis includens (falsa-medideira) é considerada praga-chave da cultura de soja em quase todo o continente americano. Um dos principais métodos utilizados no seu manejo é o controle químico. No entanto, o uso intensivo de inseticidas para seu controle pode ocasionar a diminuição da suscetibilidade dessa praga a esses produtos. Além disso, a maior utilização de fungicidas para controle da ferrugem da soja diminuiu a ocorrência natural de fungos entomopatogênicos, os quais eram responsáveis por grande mortalidade natural da falsa-medideira no ambiente. Esses fatores, aliados ao comportamento da praga, têm dificultado seu manejo.


Recentemente foi lançada no Brasil uma variedade de soja geneticamente modificada expressando a proteína Cry1Ac. Essa biotecnologia se constitui em uma ferramenta importante para o manejo integrado de pragas, devido a sua atividade inseticida e consequente diminuição de aplicação de defensivos agrícolas para manejo das pragas alvo da tecnologia.


Um estudo recente avaliou a suscetibilidade e a frequência de alelos de resistência à soja Bt em diversas populações da lagarta falsa-medideira ao longo dos últimos anos. Não se observou diferença significativa entre a suscetibilidade das populações da praga de campo em comparação com a população de suscetível proveniente de laboratório. Além disso, as populações de campo de diferentes regiões geográficas também não mostraram diferenças na suscetibilidade entre elas. Para o estudo de frequência de alelos de resistência nas populações de C. includens, foram realizados estudos em 626 famílias coletadas em diferentes regiões do país. A geração resultante (F1) dessas famílias foi autocruzada, gerando descendentes F2, os quais (128 lagartas por família) foram alimentados com folhas de soja expressando a proteína Cry1Ac. Dentre as famílias testadas, não se observou nenhum sobrevivente.


Com base nesse estudo, podemos concluir que a lagarta falsa-medideira apresenta elevada sensibilidade e baixa frequência do alelo de resistência à proteína Cry1Ac na dose expressa nessa soja Bt lançada comercialmente. Esses atributos contribuem para minimizar o risco de evolução da resistência de C. includens à Cry1Ac. Sendo assim, a utilização do refúgio é fundamental para gerar insetos suscetíveis e preservar a eficácia dessa tecnologia, e consequentemente assegurar a longevidade dessa nova ferramenta para o manejo dessa praga. Mais detalhes relativos ao manejo da resistência da lagarta falsa-medideira a inseticidas e tecnologias Bt podem ser consultados na página do IRAC Brasil (www.irac-br.org).



Para saber mais:

Yano et al. (2015) High susceptibility and low resistance allele frequency of Chrysodeixis includens (Lepidoptera: Noctuidae) field populations to Cry1Ac in Brazil. Pest Management Science, v. 72, n. 8, p. 1578-1584.


Foto:

Shimohiro (2013)


Mais recentes
Siga-nos

1/2

Comitê Brasileiro de Ação à Resistência a Inseticidas - IRAC-BR - 2020

Desenvolvido por Allge Pesquisa e Desenvolvimento