Projetos

Programa de Monitoramento de Resistência do Curuquerê-do-Algodoeiro a Inseticidas

Durante o período de Setembro de 2000 a Setembro de 2002 foi desenvolvido um projeto de monitoramento da suscetibilidade de curuquerê-do-algodoeiro aos inseticidas Deltaphos (triazophos+deltametrina), Ambush (permetrina), Fury (zetacypermetrina), Tracer (spinosad), Avaunt (indoxacarb), Certero (triflumuron) e Rimon (novaluron). 

 

Este estudo foi conduzido no Centro de Pesquisa de Algodão da Embrapa em Campina Grande e teve como objetivo determinar, através de curvas de concentração-resposta, a suscetibilidade de populações de Alabama argillacea coletadas nos Estados da Bahia, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso aos inseticidas acima mencionados.

 

Os resultados deste estudo mostraram que as populações testadas são particularmente suscetíveis aos novos grupos químicos. 

 

No entanto, as diferentes populações coletadas apresentam variabilidade na resposta aos piretróides, em função tanto da região de coleta dos insetos como da estrutura química do piretróide.

 

Na fase inicial deste projeto, um número limitado de populações e de inseticidas foram testados. 

 

Em função dos resultados iniciais obtidos e para garantir que as recomendações de manejo de resistência de Alabama argillacea a inseticidas nas diferentes regiões produtoras de algodão do Brasil sejam as mais adequadas, o IRAC-BR iniciará uma segunda fase de pesquisas, concentrando esforços em aumentar o número de populações testadas e incluir um maior número de piretróides e organofosforados, para melhor avaliar a variabilidade intra - e inter-regional no que se refere à suscetibilidade desta praga aos inseticidas que têm sido, historicamente, mais usados no seu controle.

 

 

Prepared by Nilceli Fernandes - Syngenta 

Revisado por: Paula Marçon, Raul Guedes

 

1/2

Comitê Brasileiro de Ação à Resistência a Inseticidas - IRAC-BR - 2020

Desenvolvido por Allge Pesquisa e Desenvolvimento