Manejo da resistência em populações de Tetranychus urticae

1/2/2017

Estudos sobre seleção artificial, estabilidade e monitoramento da resistência a acaricida em populações de ácaro-rajado

 

O ácaro-rajado, Tetranychus urticae, é um dos ácaros de maior importância econômica para a agricultura, causando danos a várias culturas (feijão, pimentão, tomate, algodão, maçã, morango, uva, soja, amendoim, entre outras). Esse ácaro ocorre na superfície inferior das folhas, causando sintomas como: amarelecimento na parte superior da folha, necrose, podendo ocasionar a desfolha precoce o que afeta a produtividade.

 

Um dos principais métodos de controle é o controle químico. No entanto, sua alta capacidade reprodutiva e seu ciclo de vida curto favorecem o desenvolvimento de resistência a esse método de controle.

 

Um dos inseticidas-acaricidas mais utilizados para seu controle é o spiromesifen. Essa molécula atua no metabolismo do ácaro alterando o desenvolvimento do organismo, por meio da inibição da enzima acetil CoA carboxilase. Com o intuito de avaliar a resistência de diversas populações de ácaros a spiromesifen, pesquisadores do Instituto Biológico (APTA) fizeram ensaios de seleção artificial, estabilidade de resistência e monitoramento de resistência a esse ingrediente ativo a fim de fornecer informações básicas para a elaboração de um programa de manejo de resistência.

 

Populações de T. urticae foram coletadas em campos de crisântemo em diferentes municípios do Estado de São Paulo. Após a coleta, os ácaros foram criados em plantas de Canavalia ensiformis em condições de laboratório. Da população inicial, 1000 ácaros foram utilizados no processo de seleção e 1000 ácaros não foram submetidos a nenhuma pressão de seleção.

 

A porcentagem de ácaros resistentes ao spiromesifen diminuiu significativamente ao longo do tempo. Isso mostra que a resistência ao spiromesifen é instável na ausência de pressão de seleção em T. urticae. Além disso, uma população de T. urticae que não foi submetida ao produto já era ligeiramente resistente a spiromesifen antes mesmo de iniciar o processo de seleção. Indicando que essa baixa resistência pode ser uma resistência cruzada ou moderada a outros acaricidas usados anteriormente.

 

Observou-se que a maioria das populações de T. urticae coletadas no Brasil foi suscetível ao spiromesifen. Os baixos coeficientes de resistência em populações do ácaro-rajado encontrado em culturas como o feijão, algodão e soja podem estar relacionadas à migração de populações desse ácaro de outras culturas (plantas ornamentais, por exemplo). Uma vez que se observaram altas porcentagens de sobrevivência de ácaros coletados em plantas ornamentais.

 

A principal estratégia para o manejo de resistência a spiromesifen em populações de T. urticae seria a rotação de acaricidas que possuam modos de ação distintos. Além disso, é necessária a realização de um bom manejo integrado de pragas, visando a utilização de produtos seletivos favorecendo a população de inimigos naturais. O uso de ácaros predadores, como a espécie Neoseiulus californicus também é uma ferramenta muito eficiente no manejo desse ácaro.

 

A manutenção das informações sobre a eficácia deste acaricida em diversas culturas no Brasil é importante para o manejo da resistência de Tetranychus urticae. Gerar e transferir conhecimento científico e tecnológico para o agronegócio na área de sanidade vegetal é importantíssimo para a melhoria da qualidade do que é produzido em campo e para a preservação das tecnologias existentes.

 

 

Para saber mais:

SATO, M. E. et al. Spiromesifen resistance in Tetranychus urticae (Acari: Tetranychidae). Crop Protection, v. 89, p. 278-283, nov. 2016.

 

Revisão:

Mario Sato
Oderlei Bernardi

Raul Guedes

 

Foto:

Eric Erbe (xxxx)

 

Please reload

Mais recentes
Please reload

Siga-nos

1/2
  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page

Comitê Brasileiro de Ação à Resistência a Inseticidas - IRAC-BR - 2020

Desenvolvido por Allge Pesquisa e Desenvolvimento