Preferências sexuais e resistência a deltametrina em populações de caruncho-do-milho

Pesquisa avaliou a resistência a deltametrina e as preferências para acasalamento do gorgulho-do-milho



Uma pressuposição frequente em estudos de evolução e manejo de resistência a inseticidas e plantas transgênicas é a ocorrência de acasalamentos aleatórios, isto é, sem escolha de parceiros. Ironicamente, este pressuposto não é verdadeiro para várias espécies animais como a humana, e mesmo em insetos é questionável em diferentes espécies.


Se a seleção por parceiro sexual acontece, essa base de seleção ou escolha pode afetar o estabelecimento de características importantes em uma população, como a resistência a inseticidas. Assim, se fêmeas de uma espécie preferirem indivíduos resistentes a inseticidas na mesma espécie, a evolução da resistência a inseticidas será mais rápida nesta população.


Curiosamente, o acasalamento aleatório é raramente testado em estudos sobre a evolução de resistência a inseticidas. Dessa forma, pesquisadores da Universidade Federal de Viçosa, da Universidade do Estado de Kansas (EUA) e da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” – Universidade de São Paulo avaliaram as preferências de acasalamento de populações do gorgulho-do-milho (Sitophilus zeamais) e associaram o evento com a resistência a inseticidas.


Para isso, linhagens mistas de uma colônia de gorgulho-do-milho foram estabelecidas a partir de populações coletadas no campo, que após cinco meses de intercruzamento foram selecionados para resistência a deltametrina. Teses de escolha de parceiras entre insetos resistentes e suscetíveis e atributos relacionados, como o tamanho, foram conduzidos e os resultados se mostraram no mínimo curiosos, além de importantes.


Foi possível notar que fêmeas de gorgulhos suscetíveis a inseticida preferem machos maiores e mais pesados para acasalar. Essa característica está associada a indivíduos que apresentam também resistência ao inseticida deltametrina, o que favorece a manutenção e propagação desta característica na população. Tal fato acaba por comprometer o uso de modelos de evolução de resistência a inseticidas baseado em acasalamento aleatório para esta espécie e compromete táticas de manejo que venham a favorecer o prevalecimento de gorgulhos de tamanho maior na população. Como gorgulho-do-milho é a principal praga de milho armazenado no país e inseticidas são a principal ferramenta utilizada em seu controle, essa constatação merece atenção por parte de produtores e técnicos envolvidos no seu manejo.



Para saber mais:

Cordeiro et al. (2016) Insecticide resistance and size assortative mating in females of the maize weevil (Sitophilus zeamais).


Revisão:

Raul Guedes

Erick Cordeiro

Alberto Corrêa


Foto:

USDA


Mais recentes
Siga-nos

1/2

Comitê Brasileiro de Ação à Resistência a Inseticidas - IRAC-BR - 2020

Desenvolvido por Allge Pesquisa e Desenvolvimento